Dicas para calibração de balanças – Parte 1

Balanças com impressoras estão sendo vendidas de forma irregular
11 de maio de 2017

Dicas para calibração de balanças – Parte 1

O ser humano não tem um sentido apurado para estimar peso, e essa dificuldade natural é mais acentuada porque o peso das coisas muda quando a força da gravidade também muda. Por esse motivo, as balanças se tornam tão necessárias. No entanto, como podemos ter certeza de que o resultado indicado no display está correto?

Só há uma maneira para responder esta pergunta: verificar a exatidão da sua balança com pesos-padrão periodicamente, ou seja, calibrar sua balança periodicamente.

E como fazer para que a balança apresente o melhor desempenho possível?

Confira dicas de como verificar a exatidão de sua balança de uma forma efetiva e de como conseguir o máximo desempenho do seu equipamento.

Utilize balanças aprovadas pelo Inmetro

Existe uma lei que regulamenta a fabricação, a manutenção e o uso de balanças no Brasil, que é a Portaria INMETRO 236/94.

Somente balanças com aprovação de modelo expedida pelo Inmetro podem ser utilizadas para transações comerciais e outras aplicações que envolvam direta ou indiretamente o consumidor final.

As balanças com modelo aprovado tem selo de verificação inicial, lacre e etiqueta do fabricante, onde constam todos os dados do instrumento. Esses itens garantem que a balança cumpre todas as exigências legais e que passou em todos os testes exigidos pela portaria.

Se a sua balança não apresentar um dos aspectos citados (não tiver aprovação de modelo do Inmetro, ou estiver sem lacre, ou com o lacre rompido), você e sua empresa estão passíveis de multas e/ou interdições.

Para mais informações sobre esta portaria, bem como o seu campo de aplicação, entre em contato conosco ou consulte o site: www.inmetro.gov.br

Utilize o peso-padrão adequado

Existem 7 classes para pesos-padrão: E1, E2, F1, F2, M1, M2 e M3. A diferença entre as classes é o erro máximo que os pesos-padrão podem apresentar, para mais ou para menos, em relação ao seu valor nominal. A classe E1 permite o menor erro e a classe M3 permite o maior erro.

Já para as balanças, existem 4 classes: I, II, III, IIII. A diferença entre elas é a precisão. A classe I é a classe das balanças mais precisas (ou com maior número de incrementos), enquanto que a classe IIII é a classe com menor precisão (ou menor número de incrementos).

Então, existem balanças com precisão suficiente para detectar erros de determinadas classes de peso.

Por exemplo: Uma balança classe I tem a precisão para detectar o erro de um peso classe M1, desta forma, jamais poderíamos utilizar um peso classe M1 para verificarmos a exatidão de uma balança classe I.

Para facilitar criamos a regra abaixo:

  • Balança Classe I – Pesos F1 ou superior (F1, E2, E1)
  • Balança Classe II – Pesos M1 ou superior (M1, F2, F1, E2, E1)
  • Balança Classe III e IIII – Pesos M3 ou superior (M3, M2, M1, F2, F1, E2, E1)

Clique aqui para visualizar os erros máximos permitidos entre as classes de peso.

Limpe o equipamento

Sempre, antes do início de uma calibração, limpe bem a superfície onde o peso será depositado Ex: Prato de pesagem. Observação importante: Retire o prato da balança para limpá-lo.

Aquecimento

Não inicie uma calibração ou uma pesagem imediatamente após ligar a balança. Os componentes eletrônicos precisam de algum tempo para se estabilizarem termicamente. Algumas balanças, após ligadas, realizam uma contagem regressiva antes de capturar o zero exatamente por esse motivo. Se não houver indicação do fabricante, recomenda-se aguardar 15 minutos.

Zero

Sempre parta do zero. Se após a retirada de um peso a indicação não voltar a zero, pressione a tecla ZERO.

Impactos

Deposite o peso suavemente no centro do prato de pesagem e não o arraste durante a pesagem.

Deslocamentos

Evite deslocar a balança. Se a mesma for trocada de local, deve ser nivelada e calibrada. Se o erro apresentado for maior que o tolerado (pela lei ou pelo processo) a balança precisa ser ajustada novamente.

Display

Verifique se todos os segmentos do display estão funcionando.

Exemplo: se o segmento do meio estiver com defeito, é possível confundir um 8 com um 0. Muitas balanças quando ligadas, fazem um teste acendendo todos os segmentos exatamente para esta finalidade.

Lacre

Verifique se a balança está lacrada. Somente desta maneira podemos garantir que um profissional acreditado pelo órgão fiscalizador ajustou a balança dentro da tolerância da lei (portaria 236/94). O lacre é obrigatório. A falta dele pode acarretar multas e interdições.

Nível

Nunca inicie uma calibração ou uma pesagem sem antes ter nivelado a balança.

Capacidade

Nunca ultrapasse a capacidade máxima da balança (isto inclui a tara do recipiente, se houver)

Carga sobre a plataforma

Nunca deixe carga sobre a plataforma, isso força o mecanismo sem necessidade, o que pode diminuir a vida útil do equipamento e causar um problema chamado Fluência (Creep) em algumas tecnologias utilizadas em células de carga de balanças.

Vibrações e correntes de ar

Evite instalar a balança em locais com vibrações e correntes de ar. Além de causar instabilidade na leitura, essa prática influi diretamente na sua vida do equipamento.

 

Saiba mais sobre dicas de calibração em breve, na parte 2.

Fonte da notícia: Blog da Toledo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *